quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Resenha literária / Relógio biológico / Garrafa :D e etc.

Primeiramente, peço desculpas a quem se incomoda com essas coisas por estar postando só pro TDB...

A verdade é que eu ando passando por uma dessas minhas fases em que eu tenho uma forte tendência a me martirizar e chorar pitangas no ouvido dos outros. De vez em quando eu até me descontrolo e um post desses acaba saindo... Isso é um saco, eu sei, e nem eu mesma gosto dessa minha faceta, então prefiro me auto-encher no meu diário de papel ao invés de alugar vocês.

------------------------------

Mas enfim! Como no último post eu falei sobre o "Ana e Pedro: cartas", e como eu já fiz (ou melhor, arrisquei, já que não sou nenhuma especialista no assunto) algumas críticas de cinema, acho que não custa nada falar um pouquinho sobre o livro.

A primeira vez que eu li "Ana e Pedro" eu devia estar... na quinta ou na sexta série. Relendo agora, dá pra ver que eu provavelmente não entendi um terço dele naquela época, mas ainda assim os dois terços que eu entendi eu gostei. Recentemente tive a oportunidade de locar novamente o livro numa certa biblioteca (isso já é outra história), e ele me tocou muito, muito mais do que da última vez. Provavelmente porque agora eu já tenho mais maturidade e dá pra entender o tal terço que faltava.

Do que se trata "Ana e Pedro"? Como muitos já devem ter sacado, ele mostra a correspondência de dois adolescentes de quase 17 anos. Ana mora em São Paulo, Pedro em Belo Horizonte e durante um ano eles se correspondem, dividindo suas vidas sem nunca terem se visto, sequer mandando fotos ou telefonando (agora entendem porque eu citei no post sobre amigos virtuais?). Com o tempo, conforme a amizade dos dois cresce, o tom das cartas vai mudando.

Aliás, essa é uma das coisas que eu acho que podia mudar: tem uma hora em que a história dá uma guinada, se vocês lerem talvez percebam isso. Por mim, o livro teria rendido muito, muito mais! Com certeza tinha material pra mais cartas, mais "recheio". Eu nem reclamo do final, fiquei desapontada com ele nos meus tempos de pirralha, agora eu vejo que talvez devesse ser assim mesmo. [SPOILER!]Apesar de que, quase 20 anos depois da troca de cartas entre Ana e Pedro, dá muita vontade de como eles estão, ou estariam agora. Um reencontro, por que não?[/SPOILER!]

Pois é, o livro é de 20 anos atrás. É atual mas não é, tem coisas que dá pra perceber claramente que seriam diferentes se fosse escrito hoje, Ana e Pedro são adolescentes, muito ligados no mundo que os cerca. Mas a essência deles é a mesma, os sentimentos, os sonhos, as dores são as mesmas, a gente vê isso e se identifica. Agora que meus 16 anos não são mais um sonho distante como naquele tempo, me identifico muito mais até.

Então procurem pelo livro, em livrarias, bibliotecas e sebos vocês devem encontrar. Soube procurando no Google que ele é até mesmo muito adotado em escolas, mas não fiquem achando que ele é um porre como a maioria daqueles extra-curriculares...

Era esse tipo de livro que a UFBA devia cobrar. Ele pode ser abordado sobre vários aspectos, inclusive em uma análise do contexto sócio-cultural da obra. Mas não, eles têm que fazer a gente ler aquela droga de "Viva o Povo Brasileiro".

------------------------------

Eu juro, meu relógio biológico veio com defeito. Se eu pudesse, eu com certeza trocava os turnos. E, segundo minha mãe, eu sempre fui assim...

Por que é que eu me sinto muito mais desperta à noite e mais propensa a dormir durante o dia? Minhas melhores idéias só vêem à noite. A inspiração pra desenhar, escrever, vem mais à noite. Eu me sinto mais confortável à noite. Mais disposta à noite, e não importa a hora que eu acorde de manhã! Posso até sentir cansaço lá pra meio-dia, mas de noite eu já estou sempre com todo o gás.

Sei lá, mas eu daria tudo pra ter uma regulagem certa, como a de todo mundo. Assim, a essa hora eu já estaria caindo pelas tabelas, não a mil por hora, e não teria problemas acordando pela manhã. Mas cada um é agraciado com um metabolismo só seu ao nascer, infelizmente...

------------------------------

Pra vocês não acharem que eu fico no meu curso de desenho só com a cara pra cima:

Garrafeeenha~


Primeira prática de lápis de cor, imagem de pinguça danada! XDDD Sei lá, a tal garrafinha e seu amigo cálice-tortinho ficaram até passáveis, embora eu ache que a imagem só tenha ficado assim cem porcento gatinha do jeito que ficou porque Mestre Charles retocou ela...

Sim, o professor retocou! Eu posso até não ser um fracasso, mas poha, eu ainda não sou nenhum monstro.

Eeee pra fechar o post, plaquinhas mil!

Tops do Chibi Contest! Quanto será que eu tiro no top 10? *-*





E depois daquele sacrifício todo pelo trote do TDB, aí está meu prêmio :'DDD



Os temas foram absurdamente nonsense, mas fala sério, foi muito legal participar! XD Vou pôr link pra imagem porque ela é grande demis pro meu perfil, ok?


Saudações a todos, e boa noite!

Marcadores: , , ,

2 Comentários:

Às 21 de fevereiro de 2008 19:59 , Blogger Mesu-chan disse...

Nem se preocupe! xD
Tb só fuunciono a noite. Coisa louca isso xD~~
O dia em si já me cansa -_-
Fazer o q!
=O Ficou lindo seu desenho!! Nooossa!! =D Muito muito muito bom!
Quem dera eu com esse talento todo! T_T
Isso me deprime! \o/ sauhsuahsa
Saudades miga!
Ah sim! Tb já li esse livro na escola! LOL XD~~
Tb né... coisa de Bel Zonte tem q ler u.u~~
Lembro-me bem que acheisuper cool =o
Vou ver se pego de novo pra ler! *-*
Kissus!

 
Às 23 de fevereiro de 2008 14:55 , Blogger Thi disse...

http://www.chibicontest.blogspot.com

Vencedores o/

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial