sábado, 1 de agosto de 2009

Final de festa, músicos a pé

Hoje eu fui, pelo (conta nos dedos) 5º ano consecutivo, ao mais tradicional evento de anime e mangá de Salvador: o Anipólitan.

Desde 2005 - como vocês obviamente devem ter contado acima - eu bato cartão no Anipólitan. Desde 2005 eu me divirto, de uma maneira ou de outra... Ou pelo menos era assim.

Acho que cada ano foi de um jeito, diferente, e mudando comigo; quero crer assim. Hoje, ao sair do evento com um vazio enorme no peito, me peguei pensando em como o Anipólitan me acompanhou e de, alguma forma, influenciou a minha adolescência, mesmo só acontecendo uma vez por ano.

Em 2005... Foi o meu primeiro Anipólitan. Eu era uma garotinha transbordando genuína euforia por finalmente, FINALMENTE acontecer um evento de anime e mangá na minha cidade. Me dirigi ao 2 de Julho duas horas antes de começar o evento, tomei sol de rachar a cabeça e fazer o fulano pedir misericórdia, enfrentei fila monstruosa, fui uma das primeiras pessoas a entrar nas imediações do Colégio. Os cosplayers eram uma meia dúzia de gatos pingados e eu os achei o máximo mesmo assim. Só havia uns 4 stands que se valesse a pena visitar, e eu amei todos eles.
(Teve tumulto no stand da JBC, imagina só! Essa vai ser uma das cenas inesquecíveis da minha vida, um bando de gente se amontoando numa baderna desordenada e gritando "TIO! ME VÊ FRUITS BASKET 6, 7 e 8 PELAMORDEDEUS!")
Todos os meus amigos estavam presentes e a gente se divertiu horrores. Comprei uma touca do Mokona e uma camiseta de FMA. Mario se apresentou no festival Cosplay e nasceu uma lenda que perdurou até 2006.
Clássico, épico.

Em 2006, eu cheguei com a convicção que o Anipólitan, e não a Disneylândia, era o lugar mais feliz da Terra. Comprei a minha plaquinha. Todos LIAM as plaquinhas uns dos outros. Mendiguei dinheiro pra comer yakissoba - e consegui. Os stands continuavam com filas homéricas, embora não tivesse mais gente se degladiando por um mangá de Fruits Basket. Cantei no Aniokê - e segundo minhas amigas, tive minha performance estragada por uma menina aleatória que cantou a mesma música comigo. Sim, minhas amigas ainda estavam lá. Não todas, mas estavam. Comprei mangá e entrei nas exposições só pra descansar as pernas da andança do dia. A gente dava voltas e mais voltas e mais voltas naquele 2 de Julho minúsculo, adorando tudo aquilo! Mario se apresentou de novo no festival Cosplay. Não foi tão épico, mas foi muito bom.
Divertido, louco. Momentos divididos com gente legal.

Em 2007, voltei ao 2 de Julho no mesmo espírito de 2006; é até meio difícil diferenciar os dois no meio do turbilhão da memória, mas lembro que foi uma ano divertidíssimo porque a quantidade de cosplays bem-feitos começava a aumentar. Ainda havia aquele clima de "família", então nós não nos fizemos de rogadas e simplesmente começamos a stalkear cosplays. Digo, coisa de stalker mesmo. A gente via um cosplay do Edo e gritava "OLHA O EDO, ABRAÇA O EDO!", ia lá e abraçava. Sim, isso mesmo. Insano, pouco usual, constrangedor e hilariante! Teve até um Kakashi que levou uma carreira da gente até o ginásio do colégio. Muitas das amigas que foram comigo em 2005 já não estavam lá em 2007, mas eu havia conhecido novas amigas e elas se apresentaram em peso. Juntou o que sobrou da galera antiga com a galera nova que veio.
Ainda louco e engraçado, o clima se mantinha.

No meio do caminho, veio o AniBahia, que pra mim não foi grandes coisas, mas valeu a pena por todos os stands paulistas que a Yamato trouxe pra Salvador...

Chegamos em 2008. O Anipólitan mudou de lugar. O pobre 2 de Julho não dava mais conta; era pequeno demais. Pelo menos a faculdade Universo era mais acessível para nós, meros mortais que dependem das caronas dos pais e que rezavam por alguma coisa acessível no centro da cidade. Fomos, eu e duas amigas minhas, saindo de casa na hora prevista pra começar o evento - e comigo quase tendo um surto por causa disso, já que eu havia chegado com antecedência nos outros anos. Encontramos o resto do pessoal de 2007 lá, também. Só duas pessoas que haviam ido em 2005 estavam lá, se bem me lembro.
A cara do evento tinha mudado. Vários stands novos, muitos cosplays bem-feitos; tirei muitas, muitas fotos! A gente comeu yakissoba. Eu quebrei minha plaquinha. Comprei um Mokona de pelúcia.
Muita coisa estava acontecendo ao mesmo tempo. Não sei onde se deu o Aniokê. A fileira de stands era claustrofóbica de tão apertada.
Voltei pra casa, feliz ainda, realizada. Mas não fui mais nos dois dias do evento, como havia ido em todos os anos anteriores. Me fez falta? Acho que sim, mas decidi relevar.

E veio esse ano. Saí de casa uma hora depois do horário previsto pra começar o evento. Muita gente, muitos stands, muitos cosplays (muitos cosplays RUINS também), muito tudo... Gente conhecida tinha, esbarrei com várias pessoas. Na maioria das vezes nem pude parar pra conversar; dei oi, tudo bem?, tchau e tive que seguir atrás de minhas duas amigas, duas, que foram minha companhia durante o evento e das quais eu tinha medo de me perder em meio à multidão esmagadora que circulava entre os stands. E ficar sozinha.(Sem crédito no celular, ainda por cima.) Eu e minha plaquinha, segunda, comprada porque a primeira quebrou ano passado. Não sei nem porque me dei ao trabalho; quase ninguém mais lê. Somos um bando de gente estranha que não mais se conhece e, além disso, não quer se conhecer. Conhecer gente nova e fazer amizade no Anipólitan? Ficou pra trás!

Não encontrei mais meus amigos de 2007. De 2005, sobrou uma das amigas que estava comigo. Somos todos adultos, não? Temos todos responsabilidades. Gastar tempo em convenção de anime é coisa pra criança; nem gostamos tanto de anime assim agora; não é?

Ponto positivo? Stand da Comix. Foi muito bom ver eles visitando a nossa cidade pela primeira vez. E ao mesmo tempo dá uma amargura saber que as editoras não mais dialogam com os fãs a ponto de se dignarem a mandar seus próprios representantes para o nosso evento, nós, que vivemos no cafundó que é a Bahia; não, vai tudo através da loja especializada. Stand de editora, só no Anime Friends, que é em São Paulo, centro cultural, econômico e tudo o mais do Brasil. Mas o saldo é positivo, porque eles vieram trazendo coisa à qual a gente não teria acesso por outros meios, até porque tem editora *cofcofNEWPOPcofcof* que NÃO ENVIA material pra bancas e fãs de fora do Sudeste se ferram bonito.
(Ressalto aqui que quero meu volume UM do Grimm's Manga... O 2 é MUITO bom, mas o 1 simplesmente NÃO TINHA MAIS quando cheguei. Terei que comprar pela internet?)

Protesto também porque tinha altas coisas de Star Wars e nada de Star Trek. Ainda amo SW, mas Guerra dos Clones tirou um pouco o meu tesão, falando sério. Agora vai ficar na base do desenho 3D mal feito pra vender pra criança; George Lucas, no dia que vocês fizerem mais um LIVE ACTION decente da série a gente volta a se falar, beijos.
Nem comprei nada além de mangá, porque resolvi guardar todo o meu dinheiro pra comprar o DVD de Star Trek quando sair em novembro.


E ao final disso tudo, eu me pergunto... Mudou o Anipólitan? Mudaram minhas amigas? Mudou a mentalidade da turma com a qual a gente se identificava?

Ou mudei eu?

E pensando em tudo isso, sinto amargura. Vontade de chorar mesmo, porque páro e me dou conta. Amanhã vai ter mais um dia de evento, 2010 provavelmente teremos Anipólitan mais uma vez...
E eu não quero mais voltar.

Marcadores: , ,

12 Comentários:

Às 2 de agosto de 2009 09:51 , Blogger Ana Luiza Romano disse...

Bom, Bee... Todos temos que mudar.

E não reclama porque vc não me chamou, fofa. :P

O anipólitan mudou porque os adolescentes mudaram e eu mudei porque cresci (igual a vc) e porque acho esses adolescentes de hoje em dia uns crianções.

Hoje temos responsabilidades e perdi a paciência (e pelo visto vc tbm perdeu um pouco) com mangás e animes. Não repudiu o meu passado, não mesmo!

Eu encho o peito e digo: "Gostava mesmo!".

Não gosto mais. Não vejo graça mais. Acho bestinha, acho que o anime/mangá é alienador.

Ainda escrevo e gosto de ler fics sobre o assunto, mas pra vc ver... Eu gosto de fics com classificação adulta (risos).

De boa, eu não suporto mais ver aqueles HOMENS e MULHERES gritando e correndo parecendo abestalhados e dizendo: "Yuuuugi-kun". E afins.

Brincar é uma coisa (e vc sabe como eu sou brincalhona), ser abestalhado é outra. Eu sei que "abestalhado" é uma palavra meio ofensiva, mas não tem outra. :/

Sou sincera.

Pronto falei.

(Agora serei linchada *risos*)

 
Às 2 de agosto de 2009 09:53 , Blogger Ana Luiza Romano disse...

Gosto não se discute o/

 
Às 2 de agosto de 2009 11:47 , Blogger Gabriela (Bee (: ) disse...

Eu não te chamei porque sei que você ia dizer que não queria ir. Te conheço, Ana!

E tenho que discordar de você. Anime e mangá não é alienante. Ou pelo menos é muito menos alienante do que muita coisa que tem por aí.
(Se quiser eu te passo o post de um blog onde afirmam - e provam! - que DIGIMON é melhor que Crepúsculo, imagina os outros animes)
Animes e mangás são histórias profundas, e que muitas vezes passam valores; as pessoas é que são incapazer de conceber quadrinhos e desenhos animados como arte e não lêem com o senso crítico que lêem um livro, por exemplo.

Eu não sou mais viciada, mas não deixo de gostar. Eu acho que foi a minha postura, que antes era meio cega e alienada, em relação a esses trabalhos que mudou.

E a desses adolescentes, que você acha que são crianças, ainda não...

Enfim, não vou te linchar e também acho que gosto não se discute. Só queria dizer o que eu penso. (:

 
Às 2 de agosto de 2009 12:59 , Blogger Maria Garcia disse...

Mudou você. Assim como eu e Ana... Mas a vida é assim.

 
Às 3 de agosto de 2009 09:03 , Anonymous Ju Fernandes disse...

Todos mudam. A vida é assim, mutável =/

Tem um selo para você no meu blog.

Beijinhus

 
Às 4 de agosto de 2009 12:11 , Anonymous Fabrício Campos disse...

Olá Bee!!! eu era uma das pessoas que vc não não conheceu no Anipolitan, li o que vc escreveu tb sinto o mesmo não com o Anipolitam mas sim com o mundo infelizmente as coisas mudam não graças as pessoas mas sim graças a sociedade q impõe regras para q possam ser seguidas, acho q os grandes, os adultos somos nó q não perdemos nosso lado infantil nos divertindo com o que os adultos chamam de "besteiras" e conseguimos ter responsabilidade e educar nossos filhos fazer novos amigos trabalhar e tudo mais sem perder o nosso lado inocente, acho sim q isso é ser adulto é seguir o q diz seu interior não se importando com o que os outros vão pensar.
Eu espero q vc não mude, pouco te conheço mas sei q vc é como nós, espero tb poder te ver no próximo Anipolitan ou qualquer evento "Infantil".
Abraços do seu novo Amigo.

 
Às 5 de agosto de 2009 17:01 , Blogger Silier Borges disse...

é, eu estava no Anipólitan, e tive sensação um tanto parecida. Tinha me separado de minha prima chatadolescente, e percebi que tava vagando sozinho por lá por algum tempo.
Encontrei alguns antigos amigos e até joguei RPG (jogo que amava, naquele dia me pareceu tão besta meu deus!). Essa mudança não tão súbita, mas imperceptivel, de interesses, que todos nós passamos é inevitável; O Anipólitan não foi divertido como nos grandes áureos anos anteriores, quando anime ainda era coisa de outsider, não de 'otaku de tv aberta' (pelo menos uma coisa aproveitável foi essa tal frase dos cosplayers).

P.s. até te encontrei lá, pra minha surpresa. :P

 
Às 7 de agosto de 2009 16:41 , Blogger Maria Garcia disse...

Fabrício, não sei quem é você, mas tu viajou na maionese... Aliás, odeio quem culpa a "sociedade" pelas coisas. O que é sociedade se não eu, você, seus pais e amigos, e os frequentadores do Anipolitan?Eu não fui mais porque a "sociedade" disse que era infantil, mas porque perdi a vontade de ir por ter mudado meus interesses. Mas não reprimo ninguém que ainda se diverte indo.

 
Às 11 de agosto de 2009 14:28 , Blogger Sofia disse...

Amei o seu blog, o lay, os textos, tudo!

Ps. Te botei nos meus favoriitos *-*
beijos,
Sofia
(http://pirulito-no-palito.blogspot.com/)

 
Às 11 de agosto de 2009 16:59 , Blogger jéssica velôso , disse...

um dia desses eu tava folheando umas revistas da capricho , e vi o teu blog em uma dela , então eu pensei se tu podes me divulgar ou pelo menos comentar no meu blog , por favor .
o link : jessiicaveloso.blogspot.com ,brigada ;*

 
Às 17 de agosto de 2009 16:15 , Blogger Sofia disse...

'ooi, tudo bom?
tem post novo lá no blog, dá a sua opinião.
Assim... posso perguntar uma coisa? Como é participar do TDB?

beijos,
Sofia
www.pirulito-no-palito.blogspot.com '

 
Às 21 de agosto de 2009 07:40 , Blogger Ana Luiza Romano disse...

Concordo com Maria. Tiro nenhuma vírgula...

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial