sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Sexta Nerd #1

Então! Eu devia explicar umas coisinhas antes de começar com a nossa nova hashtag. Mas como a explicação vai ser comprida, vou jogar no final e lê quem quiser.

Aí vamos nós pra nossa Sexta Nerd #1!

Hoje vamos falar sobre.... Nintendo DS!

(Aposto que acharam que eu ia começar com Star Trek, né? P:)

Antes de mais nada, não sou gamer, jogo casualmente, acho Mario Bros. uma gracinha mas não consigo nem passar da primeira fase e reconheço que adoro aqueles joguinhos tipo dash. (tô pedindo pra ser crucificada aqui)

Mas o Nintendo DS foi o único videogame pro qual eu jamais paguei pau. Se eu pudesse ter um console, seria o DS.


Olhem que gracinha :D E sim, acho lindo ter de várias cores pra poder escolher viu, sr. PSP?


Por que, vocês perguntam, você afirma isso com tanta convicção, Bee, num mundo onde as pessoas vivem sofrendo no dilema Wii vs. PS3 vs. XBox?

Primeiro que ele é portátil e só daí eu já eliminei esses três figurões.

O páreo fica então entre PSP e DS, e o DS, na minha humirde concepção, bate o PSP em ene aspectos.

Antes de mais nada, o DS tem a stylus.
Pra quem não sabe, é uma canetinha tchuca que serve para escrever, desenhar, whateaver na não menos importante tela touch que fica embaixo e que é a interface na qual você realmente joga. A tela de cima só roda o jogo e não é interativa.

Eu nem preciso mencionar as possibilidades que isso traz pra jogabilidade, mas imagina só você ter um videogame & um caderno de desenho numa coisa só?? Só aí já me ganhou.

Além de ter umas stylus personalizadas que são OMGWTFDOWANT, como essa daqui:


Canetinhas sabre de luz, isso mesmo. É mara ou não é?


O PSP tem o quê? Sensor de movimento. Pfffffft.

Segundo são os jogos.
Como eu disse, sou jogadora casual. E além disso tenho propensão por gostar de games com gráficos guti-guti. (Por que vocês acham que eu jogava Trickster e Ragnarök? Com certeza não era pelo PvP nem pela Guerra do Imperium)

Por isso, se o DS me proporciona coisas como Harvest Moon Cutie e minha adorada série Cooking Mama (que no Cooking Mama 2 pode ser bem mais sanguenozóio do que os gamers por aí podem pensar), eu o amo forever.


Não se deixe enganar por essa carinha feliz dela. Em algumas receitas, você irá querer gritar de frustração e arrancar os cabelos quando ela disse pela milésima vez "Don't Worry, Mama Will Fix It!"


Além desses, também tem a incrivelmente viciante série Phoenix Wright; acho que o primeiro Phoenix Wright foi o único jogo que eu realmente zerei sozinha, sem ir chorando pedir ajuda ao meu pai, na vida. Jogo com história legal é o que há.

Trauma Center também é divertido, mas olha, o "trauma" do nome não é brincadeira. Quando eu matei o paciente pela milésima vez na operação dos aneurismas, joguei as mãos pro céu e agradeci por não fazer Medicina.


Phoenix Wright - quem diria que um jogo de advocacia seria divertido?


Quer mais? Tem Kingdom Hearts, tem Guitar Hero (que, infelizmente, não dá pra emular) ... Além, é claro, dos jogos puzzle. Professor Layton, o já famoso Scribblenauts e por aí vai.

PSP tem LocoRoco, Patapon e... É, são esses! Nem o The Sims 2 pra PSP presta, srsly.

E, pra terminar...

Se possível for, um dos motivos ainda maiores pra eu amar o DS de todo coração é...
A facilidade de emular.

Sério! Basta ter um emulador e algum espaço no HD e pimba! Você pode testar o jogo de DS que quiser, quando quiser, se quiser, no esquema supzdigratis (como diz a Lia)!

Isso, pra pessoas que não têm 700 paus pra dar num console mais os preços dos jogos, é o Paraíso, m'friend.

Por tudo isso, eu digo... Obrigada, Nintendo, por criar o DS!

You're all better than Mama! ♥



Agora que vocês se divertiram, vamos à explicação chata que lê quem quiser.

Tem uma coisa que me incomoda deveras aqui no Dreamer.

Praticamente todos os meus posts são sérios/tristes/filosóficos ou algo que o valha. Não sei se pra vocês passa essa impressão, mas pra mim passa!

Sinceramente, não sei de onde saiu esse meu estilo blogueiro, vez que nos meus primórdios na blogosfera, dos quais me envergonharei forever and ever, eu tinha um blog altamente feliz, cheio de figurinhas, gifs piscantes, layouts pré-prontos pegos em sites e emoticons.
E o mais engraçado é que eu postava. Ah, sim, eu postava. Eu simplesmente postava e me sentia feliz. Às vezes eu queria voltar àqueles tempos de blogueira despreocupada. Quando eis que eu percebo que posso. Por Deus, não sou nenhuma formadora de opinião e esse é o MEU espaço.

E é com esse intuito que eu estou criando hashtags. Ou seja, dias específicos pra abordar assuntos específicos no blog. Já que dizem que isso funciona pra animar o blog também, eu saio no lucro. Essa é só a primeira, então fiquem de olho. Talvez eu comece outras, afinal, ainda tem seis dias da semana pra eu preencher...

Marcadores: ,

1 Comentários:

Às 16 de outubro de 2009 19:11 , Blogger Gabriela Neves disse...

Ai, gostei da nova idéia de postagem! Talvez eu faça isso com o meu blog, faz taaaaaaanto tempo que eu não me animo a escrever... Talvez isso anime! :D
Muito bom o texto, mas não entendi quase nada, já que sou uma não nerd de video games :(
xx

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial