quarta-feira, 15 de abril de 2009

Passando a borracha

Se eu pudesse voltar ao passado, iria me chamar pra uma longa conversa. Antes me convenceria de que não estava louca, depois diria a mim mesma pra não ser tão boba e ingênua. Diria a mim mesma pra não confiar tanto nas pessoas. Que os outros podem machucar a gente, que o amor não é assim tão doce quanto dizem, que virar mocinha não é tão legal. Que com 16 anos você não é adulta e muito menos madura... Nem com 17, aliás. Que a escola ficaria muito mais difícil do que já estava, que a vida ainda reservava muitas pancadas e que o futuro, de um jeito ou de outro, é sempre igual ao presente: cheio de risos e de lágrimas, de problemas e de soluções, de expectativas e de decepções...
Que não é vergonha nenhuma você abrir a boca pra dizer o que sabe. Que não se pode ligar demais pro que os outros pensam, porque sempre vai ter alguém pra achar ruim.
Dá até dó pensar no quanto que eu não sabia há uns cinco anos atrás. O quanto eu achava que o mundo era cor-de-rosa, o quanto eu não entendia e, francamente, não buscava entender. Se eu soubesse, poderia evitar um mundo de problemas!
Ou não.
Afinal, problemas sempre teremos, erros sempre cometeremos - e são eles que nos fazem ser o que somos, muito mais do que os acertos.
Acho que no final das contas só me daria um abraço e me despediria de mim mesma dizendo que, apesar de tudo que eu não sabia, talvez o melhor fosse fazer as coisas exatamente do mesmo jeito.
E agradeceria por essa garotinha boba e ingênua ter me ajudado a me tornar o que sou hoje.

Marcadores:

1 Comentários:

Às 24 de abril de 2009 10:17 , Anonymous Robertha disse...

A sensaçao de colher frutos virá, com certeza (faltam só 5 anos para os meus 30), mas os "serás" continuam, porque é uma coisa humana, nao da idade. Entao relaxe com os seus "serás" de agora, porque eles sempre estarao na vida. Mas plante, plante muito!

Beijos!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial